OUVIR, OUVIR SEMPRE

“Ouvir a causa de seus irmãos” (1) costumar-se desde agora, se ainda não o fez, prestar a atenção a seus amigos, conhecidos e outros, o que têm a dizer, porque é vital para a sobrevivência. Para conhecer o caráter do outro, temos que deixá-lo falar e ouvir para que não tenhamos os ouvidos tapados e pré-julgarmos.

“Ouvir a causa de seu irmão”. Realmente é um pedido difícil de ser cumprido. Implica em prestar atenção e levar o outro em consideração. Ouvir com atenção para entender o que diz. Implica considerar queixas alheias e opiniões divergentes das nossas, obviamente, permitir que o outro termine sua fala sem interrupções.

Escutar deriva do verbo equilibrar. Não haverá equilíbrio entre pessoas, partidos, facções diversas, sem que haja possibilidade de escutar palavras do outro. O equilíbrio do nosso corpo depende do labirinto, que situa-se no ouvido interno, localizado na cabeça onde temos a boca para falar e o ouvido para escutar.

O equilibrado fala apenas metade do que escuta. Este é o segredo do ouvido que nos dá o equilíbrio, criando proximidade, compreensão e harmonia entre as pessoas.

Será que alguém se lembra quando foi a última vez que recebeu esta maneira de atenção? … em outras palavras, quando foi a última vez que você deu essa atenção ao outro? Atenção é compromisso e conciliação, é julgamento feito com justiça.

Conciliação não significa abrir mão de princípios ou crenças fundamentais, pelo contrário é o único instrumento de que dispomos para extrair o máximo de circunstâncias, de modo amigável a partir de uma visão correta da realidade.

Se uma pessoa tem dificuldade de ouvir com atenção o outro, é porque sente-se alienado dos outros, como se fosse uma unidade autônoma, uma realidade independente e não parte de um todo. Por tal motivo foi criado um único homem… para assegurar a paz e evitar que um diga ao outro: meu pai é mais importante que o teu.

(1) Dt.1:16


%d blogueiros gostam disto: